Com mais de 30 obras infantojuvenis publicadas, o escritor João Pedro Mésseder voltou à Fundação CEBI para dinamizar um conjunto de encontros com os alunos do 4.º ao 6.º anos. A iniciativa decorreu a 10 de janeiro, com o intuito principal de motivar os participantes para a leitura e para a descoberta da escrita. 

João Pedro Mésseder, que já tinha estado no Colégio da CEBI há cerca de dois anos, aproveitou as sessões para responder a todas as curiosidades dos alunos, nunca esquecendo de deixar claro que o papel do escritor é sempre “elevar as palavras para além do que elas já são”.

Nunca esquece “o primeiro livro” que publicou, mas não por ser “o seu preferido”. Esse não consegue dizer qual é. Inspiram-no “outros escritores” e os livros que foi lendo ao longo da sua vida. Quis ser “marinheiro, músico, e outras profissões”, mas a paixão pela leitura e pela escrita falou sempre mais alto.

“E se tudo corresse mal?”, perguntaram-lhe da plateia. “Bom, nesse caso, voltava a tentar de outra maneira. E esperava que tudo corresse da forma certa”, respondeu prontamente.

“Os escritores procuram fazer arte”

Com uma escrita criativa que desafia, interroga e diverte os leitores, João Pedro Mésseder é o nome literário de José António Gomes, escritor português que nasceu no Porto, em 1957. Editou a sua primeira obra com cerca de 30 anos. Desde então, nunca mais parou.

Perdeu a conta ao número de livros publicados – “nunca os conto porque sempre que edito um livro novo, o número perde a validade” – e explicou aos alunos da CEBI que o tempo de demora a escrever cada obra “depende da inspiração e de tudo o que nos rodeia”.

Por isso mesmo, João Pedro Mésseder já demorou “apenas meia hora a escrever um livro”, mas também já precisou “dois ou três anos”. 

À pergunta “gosta de ser famoso?”, João Pedro Mésseder esclareceu: “os escritores querem fazer arte, não procuram ser famosos”. Mas, para isso, “é necessário muito trabalho porque um livro raramente está escrito à primeira”. Escrever é “manter as palavras vivas, com novos significados e com diferentes contextos”.



VOLTAR